terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Carnaval? Quem? Onde? Como? Já acabou?


Hermanos, sou um apreciador dos folguedos de Momo. Essa declaração pode soar bombástica para muitos, mas... é isso aí, me amarro em carnaval! Mesmo assim, sou comedido, passo esses quatro dias de festejos curtindo a minha folia particular: bebendo cerveja em quantidades industriais, pulando de um lado para outro e zoando quem aparecer na minha frente. Tem gente que se arruma, faz fantasia, e para quê? Depois fica tudo mundo um bagaço, doidão, e termina escornado na avenida Rio Branco. Ta lá fantasiado, bonitinho, mas tá escornado na avenida Rio Branco.
Diferente de outros anos tão comedidos como eu possa ter tido, resolvi sair da minha “zona de conforto” e me aventurar pelas selvas de Botafogo. O primeiro passo foi o mais difícil, sair de casa. A cabeça tava pesada devido à folia do dia anterior (Cordão da Bola Preta), mas tomei coragem e um balde de café e eu e minha camiseta do Sonic Youth colocamos nosso bloco na rua. Passei pelo Bonde da Folia, que já saiu sem o carro de som (o pessoal acreditou que um vereador iria bancar a farra. Doce ilusão). O que veio na sequência foi uma demonstração de amor ao Momo que nem eu imaginava que tinha, pegar o metrô. Puta que pariu!!!!!!! Todos os vagões estavam lotados de uma forma que não passava bactéria com vaselina. Como diria um amigo meu: carnaval é um esporte de contato, e eu caí para dentro com tudo. Depois de uma desconfortável viagem sem ter onde me apoiar, cheguei na quebrada.

Encontrei com Jônatas, meu grande chapa, e bebemos umas poucas cervejas, só umas dez. Quando eu já estava quase me sentindo eu mesmo de novo, toca o telefone. “Vamos nessa, mermão”, informa aquela digníssima criatura de Jônatas, me pegando pelo braço. O destino? Bloco Cru!!!!! E digo mais: bom bagaralho. Achei um barato a mistura de rock com batucada, embora eles tenham a tristeza de tocar uma música da série “As mais manjadas das mais manjadas”: Should I Stay or Should I go. Mas vá lá, a cerveja do boteco tava gelada e a rapaziada, maior animação. Comedido como sou, zoei o plantão literalmente, nem o PM que tava na segurança, que foi um cara muito maneiro e não me levou em cana, escapou.
Em determinado momento encontro o Alemão e o Capíta, meus amigos de longa data, e zoamos mais um pouco, só para não deixar passar em branco. Depois eu me perdi do Jônatas. Eu estava legal e, comedido como sou, só bebi mais umas “trezentas e trinta e doze” cervejas. liguei para este último, que foi um verdadeiro gentleman e me deixou dormir no sofá. ZZZZZZZZZZZ.
Segunda-feira de carnaval, é dia de Bloco de Segunda, mas essa é outra história.
Resumo da ópera: no carnaval o couro come, a jiripoca pia, chuta-se o pau da barraca... e depois tudo volta ao normal. Curioso isso, né?

3 comentários:

Anônimo disse...

Querido Pedrao,

Que boa surpresa esse seu blog! Otimo ter noticias brasileiras com seu peculiar e unico senso de humor.

Pode me considerar um leitor assiduo e com sua resolucao de fim de ano espero acompanhar suas "aventuras" ou melhor observacoes semanamente.

Espero que vc estenda o leque de topicos postados. Afinal de contas nossas extensas noites de discussoes no Posto 12 (sobre os mais variados assuntos)tomando uma cerva e levando dura da PM nunca desaparecerao da minha memoria.

Grande Abraco

Seu amigo exilado economico

Rafael

*A CHAVE DOS MAGGI* disse...

Muito bom!!!

kk

Já estou seguindo vcs.

Flavio Pessoa disse...

Porra, tá muito bom.
Mas coloco aqui meu protesto por não ter sido mencionado, embora eu tenha encontrado algumas vezes essa estranha bizarra foliã no carnaval com camisa de Sonic Youth.
Abralho!
Flavio