sexta-feira, 19 de outubro de 2012

WT Portugal 2012 – resumo final

Como na França, uma etapa pródiga em notas 10 e em pontuações baixas, pois as ondas não ajudaram tanto quanto nos anos anteriores.

A final foi entre Medina e Julian Wilson, o novo rei dos claims, queridinho da mídia estrangeira e da ASP, que conquistou sua primeira vitória no World Tour. O resultado foi contestado por meio mundo pelo twitter, e a imagem de seriedade do julgamento da ASP, que há tempos está muito pior que Scarface ou qualquer outro similar, ganhou mais um arranhão.

Mais uma vez, Tiago Pires, o representante da casa, sofreu com a pressão, não conseguindo vencer nenhuma bateria, e terá que recorrer ao wqs para manter-se no tour. Há apenas duas etapas após esta, a de Santa Cruz e a de Pipeline, o que deixa meio desesperada a galera que precisa de pontos para a requalificação, e muitos, além do Tiago, participarão do wqs por conta disso.

Os australianos decididamente jogaram no lixo décadas de críticas aos claims (comemorações) brasileiros e chegam a ultrapassar-nos neste ponto, como mostrou Julian Wilson em sua última onda contra Owen Wright: comemorou ao sair do tubo, mandou um aéreo e comemorou de novo, algo que não passou despercebido por gente como Fred P. Recomeçou a velha ladainha sobre a possível aposentadoria de Kelly Slater. Parece que foi ele mesmo quem colocou o assunto em pauta, e, como sempre, a mídia se ocupa de criar suas teorias, razões, votações e o que mais surgir na cachola.

Os contendores

Taj Burrow foi o primeiro a cair fora: na 3ª fase perdeu para Kolohe Andino. Slater, em uma bateria muito fraca, não encontrou nada que chegasse a 3 pontos e perdeu para Raoni. Na 4ª fase, Joel e Mineiro foram os que avançaram direto para as quartas de final, enquanto Fanning e John John tiveram que surfar a 5ª fase. Mick surfou muito, porém perdeu para Owen Wright; John encontrou Joel nas quartas e surfou apenas uma onda boa.

Dos top 6, Mineirinho e Parko chegaram às semifinais. Gabriel Medina, em 9º no ranking, venceu por combinação o líder do ranking, enquanto Adriano perdeu por combinação para Julian Wilson, que abriu a bateria com um 9,7 e fechou com 9,57. O Mineiro lutou, mas com uma diferença tão grande, partiu para o seja-o-que-Deus-quiser e não conseguiu nada significativo e só com uma combinação improvável de fatores há de tornar-se, nesta temporada, o primeiro campeão brasileiro.

Os brasileiros

Alejo, Adriano e Medina avançaram direto para a 3ª fase. Raoni, de volta após a contusão em Fiji, foi o único a passar pela repescagem (2ª fase); foi destaque na mídia após sua vitória sobre Slater na fase seguinte, mas não conseguiu ir mais longe e terminou em 9º lugar, seu melhor resultado na temporada até agora. Medina e Mineiro, os mais consistentes, avançaram. Mineiro, como dito antes, chegou às semifinais.

Jadson André e Raoni Monteiro, por enquanto, estão fora da zona de classificação. Apenas Raoni tem chance de ganhar o wild card por contusão - o outro deve ser dado ao Dusty Payne, que ficou de fora das 4 primeiras etapas.

Fatos curiosos

O mais engraçado foi a sardinha, ou algum peixe parecido, que acertou o rosto do Damien Hobgood dentro do tubo. John John bateu com a cabeça no fundo enquanto surfava n’A Caverna; disse que foi a primeira vez que isso lhe aconteceu, o que é espantoso, já que é havaiano e isso é meio comum por lá. Alejo Muniz venceu o Moche Best Wave Expression Session. A Rip Curl, patrocinadora do evento, tem por hábito colocar alguns dos mais insossos comentaristas do tour, mas compensou um pouco ao colocar o Pancho Sullivan na cabine.

A próxima etapa será de 2 a 12 de novembro em Santa Cruz, Califórnia.

Nenhum comentário: